E-commerce e Storytelling: Como vender mais com histórias

Sumário

Posts relacionados

E-commerce e Storytelling Como vender mais com histórias

E-commerce e Storytelling: Como vender mais com histórias

Conheça mais sobre storytelling, como ele ajuda a aumentar as vendas de um E-commerce, como elaborar e aplicar de forma eficiente. Confira mais!

De maneira superficial, o storytelling pode ser denominado como um agrupamento de técnicas de escrita responsável por fazer com que uma história seja contada de forma eficiente, capaz de fazer com que o público que está ouvindo ou lendo capte bem essa mensagem.

Dentro do âmbito comercial, ela é uma ferramenta essencial para impulsionar as vendas de um determinado produto. O storytelling consegue ser um instrumento capaz de persuadir os consumidores a comprarem um determinado produto. Assim, para saber como aplicar essa técnica dentro do seu negócio e impulsionar suas vendas, acompanhe este artigo que o Jornal do Marketing preparou.

O que é Storytelling?

Storytelling trata-se de uma técnica de contação de histórias, feita para atingir um determinado objetivo. Dentro do nosso cotidiano, aplicamos ela para persuadir nossos filhos a comerem comidas saudáveis, comover nossos amigos a apoiar algum projeto pessoal, até convencer um funcionário de um estabelecimento a oferecer desconto em uma compra. No âmbito comercial, ele é utilizado para atrair compradores para seu produto ou serviço.

Conceituando de forma mais técnica, o storytelling pode ser caracterizado como a prática de contar histórias de maneira envolvente e recheada de significados com a ajuda de elementos audiovisuais. Ele é a combinação entre a arte de planejar e executar cenas, dando-lhes um significado envolvente que atraia atenção dos indivíduos e incubem o entendimento de uma ideia principal. (Santos; Almeida e Figueiredo, 2018).

O que é Storytelling
Fonte/Reprodução: original

O historiador Yuval Noah Harari, em seu livro Sapiens: Uma Breve História da Humanidade, afirma que a capacidade de contar histórias foi um dos principais fatores responsáveis pela evolução do Homo sapiens. Pois a partir da criação de uma realidade imaginada e a capacidade dela ser contada em palavras proporcionou um aumento maior da cooperação humana para atingir um determinado objetivo.

Inicialmente, a habilidade de contar história foi utilizada para reunir pessoas em prol de alcançar um objetivo. Nos primórdios da vivência do homo-sapiens, eles precisavam se juntar para caçar comida e proteger seu local de moradia de possíveis predadores. Isso proporcionou, por exemplo, o surgimento da Revolução Agrícola (Harari, 2014).

Por fim, essa habilidade foi utilizada pelo ser humano para atingir outras finalidades, por exemplo, a comercialização de um determinado produto. A partir de uma boa técnica de contação de história, uma empresa pode engajar vários consumidores a adquirir algum determinado produto ou serviço.

Qual a importância de usar storytelling no E-commerce?

Considerando alguns pontos mencionados durante os últimos parágrafos citados, o storytelling nada mais é que a utilização de técnicas de contação de histórias capazes de comercializar seus produtos. Em suma, nada mais que a adaptação de uma habilidade humana ao âmbito comercial. 

Como contar histórias é uma habilidade primordial para fazer com que várias pessoas consigam se engajar em uma determinada atividade, o storytelling mostra-se importante, pois a partir da organização de técnicas de transmissão de informações, um determinado E-commerce poderá fazer com que vários consumidores fiquem interessados em seu produto.

O ato de contar histórias é uma espécie de manifestação artística que consegue resistir às mais profundas mudanças sociais do mundo. De acordo com Buscaratto (2020), o fato de nenhum ser vivo viver de forma eterna, faz com que as histórias continuem no imaginário das pessoas que a ouvem. Esse poder atemporal que uma boa narração possui, mostra a importância de investir em um bom storytelling quando comercializar um produto.

A psiquiatra Ana Beatriz Barbosa Silva, em seu livro Mentes Consumistas (2014), mostra que as agências de marketing tornaram-se responsáveis por criar uma identidade para cada item, possibilitando assim uma forma de humanização dos produtos. Para conseguir tornar as mercadorias em “seres reais”, os especialistas da área de marketing utilizam ferramentas que consigam gerar sentimentos para o público consumidor.

O storytelling é uma das principais ferramentas responsáveis por gerar a empatia entre o produto e os consumidores. Já que a vasta possibilidade de recursos que a contação de histórias possui para conseguir gerar emoção e empatia as pessoas, fazendo com que a relação entre a empresa e o cliente seja mais próxima.

Como aumentar as vendas do E-commerce com Storytelling?

Uma das formas que o storytelling pode ajudar no aumento das vendas de um E-commerce, é gerar uma espécie de valor sentimental ao produto, no qual o consumidor terá uma sensação de agregação significativa na sua vida se consumir a mercadoria ofertada. Nesse contexto, a ferramenta possibilitará um sentimento de satisfação social valorizado dentro de um sistema econômico. 

O storytelling trabalha o lado emocional dos consumidores, na qual atrai vários indivíduos a se identificarem com as histórias contadas. Ele é importante para a construção da concepção visual da marca, sendo uma das maneiras mais fortes de dar vida a ela e criando vínculo com as pessoas, por meio da construção de narrativas que apresentam valores a imagens da empresa. (Santos; Almeida e Figueiredo, 2018).

Como aumentar as vendas do E-commerce com Storytelling
Fonte/Reprodução: original

A habilidade de comunicar-se deu ao ser humano a capacidade de transmitir grandes quantidades de informações sobre o ambiente que ele habitava, possibilitando a reunião de vários humanos se reunindo em prol de um objetivo, gerando uma rápida inovação do comportamento humano e da evolução da sociedade. (Arari, 2014).

Por conta deste poder de reunião social já mostrado, um bom storytelling consegue fornecer uma reunião maior de pessoas a quererem conhecer mais sobre a mercadoria e também consumi-la. É nesse contexto que é essencial saber quais instrumentos importantes para fazer um bom trabalho, capaz de aumentar as vendas do E-commerce.

5 Dicas de como fazer um bom Storytelling para E-commerce

Após ficar evidenciado a importância da técnica para o aumento de vendas de um E-commerce, agora chegou a vez de saber como aplicar as ferramentas essenciais para conseguir fazer um bom storytelling, ocasionando um sucesso comercial de sua mercadoria.

A gente do Jornal do Marketing agrupamos cinco dicas essenciais para realizar um storytelling, no qual ajudará bastante no momento em que você quiser aplicá-lo dentro de seu E-commerce, de modo que seja eficiente. Dito isto, para conhecer mais sobre eles, confira aqui abaixo:

1 – Repasse a mensagem por meio de uma história

Contar uma história para passar uma mensagem é uma técnica milenar, na qual é utilizada desde a Grécia, com as histórias de heróis e seres que visavam passar lições de ética e moral para a população. 

Por exemplo, na história do voo de Ícaro, narra o conto de um jovem preso que foge de um labirinto voando, mas que se empolga tanto com a sensação de liberdade e acaba caindo. Pois, suas asas foram queimadas pelo sol, mostra que temos que ter prudência no momento de realizar nossos atos.

Dentro do contexto comercial, a empresa pode contar uma história que tenta, por exemplo, passar a mensagem de superação, na qual embute seu produto dentro dela, mostrando como ele pode ajudar determinada pessoa a superar seus desafios. Esse simples recurso pode gerar uma conexão maior entre a marca e o possível consumidor. 

2 – Gerar identificação mediante a emoção 

Para conseguir engajar os interlocutores é necessário criar técnicas de narração que consigam gerar identificação da história mediante a emoção. Essa é uma das ferramentas que possui a intenção de deixar o público com vontade de acompanhar a narração até o final.

Dentro deste formato, a narrativa atrai o público a sentir inúmeros sentimentos. São emoções que proporcionam sensações como curiosidade, surpresa, medo e alguns outros. Por outro ladoo, ao final, traz alegria em alcançar o objetivo.

Um bom exemplo comercial disso é o Homem-Aranha, o sucesso do super-herói da Marvel deve-se muito pelo fato dele ser criado com dilemas e problemáticas que atingem a vida de várias pessoas, por exemplo: a dicotomia entre poder e responsabilidade, lidar com perdas e conciliar várias coisas ao mesmo tempo. 

3  – Escolha um formato adaptado para o seu público alvo 

As apresentações e os seus conteúdos na divulgação de um produto precisam ser elaborados em meios compatíveis com a história. Por isso, é necessário escolher uma estrutura adequada para o público alvo. Por exemplo, a empresa comerciante de óculos, Chilli Beans possui um público consumidor mais jovem e descolado, certamente, uma campanha narrativa sobre ela deve ter uma linguagem mais leve e menos sofisticada.

Expandindo para outros exemplos, a marca de relógio Rolex tem como público alvo consumidores mais elegantes, com poder aquisitivo maior, que é geralmente composto por executivos de grandes empresas. No momento de realizar uma campanha de storytelling de uma entidade dessas, é necessário utilizar uma linguagem mais rebuscada e com menos gírias.

4 – Utilize uma narrativa cheia de obstáculos

Ao contar uma história, é essencial que o elaborador dela incremente vários obstáculos que os personagens terão de superar para conseguir alcançar um determinado objetivo. A partir deste recurso narrativo, o público ficará mais engajado para acompanhar o desenrolar da história, ao ponto de ficar intrigado em saber como ela vai terminar. Confira alguns obstáculos comuns presentes em uma narrativa aqui abaixo:

E-commerce e Storytelling: Como vender mais com histórias

Um bom storytelling comercial pode utilizar na campanha de divulgação de determinado produto, uma trama onde os personagens estejam passando por algum problema e mostrar a mercadoria ofertada como uma possível solução. Além de fazer com que o público fique engajado, isso faz com que as pessoas tenham mais curiosidade de conhecer ou até mesmo comercializar o produto. 

5 – Defina bem o herói e o vilão de sua história

Uma boa história deve possuir um herói e o vilão. A partir da relação entre os dois, temos os conflitos nos quais os personagens se enfrentarão para dar o andamento da narrativa. É válido ressaltar que o herói ou o vilão não são necessariamente pessoas, mas também situações ou ideias que são apresentadas. 

Uma empresa que utiliza bem desse artifício narrativo é a Nike. A entidade de materiais esportivos apresenta bem esse conflito, onde os heróis são os atletas apresentados na produção e os vilões geralmente são recursos abstratos, como a derrota, inércia, desistência e as falhas. 

Esse conflito fica bastante perceptível durante o comercial da tenista Serena Williams, onde grande parte de sua jornada é mostrada, desde quando iniciou sua prática no tênis juntamente do seu pai, até suas conquistas e fracassos. Nesta campanha, Serena enfrenta diariamente dois vilões que atormentam a sua carreira: a derrota e o fracasso. Confira o comercial clicando neste link.

Essas cinco dicas darão um ótimo direcionamento de como realizar um bom storytelling. A partir delas, você já pode organizar as campanhas de divulgação do seu E-commerce, ao ponto de conseguir fazer com que mais pessoas possam conhecer e até consumir os produtos ofertados por ele. 

Ao decorrer do texto ficou perceptível o quanto a arte de contar histórias é algo que está presente desde os primórdios da vida do Homo sapiens, no qual usou bastante desse artifício para engajar pessoas a se unirem e alcançarem seus objetivos. Entretanto, com o tempo, essa habilidade foi adaptada a novas realidades, como a de comercializar produtos.

Por fim, foi visto que um bom storytelling envolve muitas variáveis e processos para que ele seja aplicado de maneira eficiente, na qual consegue atingir seu objetivo final, que é engajar mais pessoas a conhecer determinado produto ofertado, além de consumir ele. Para aprender mais dicas sobre marketing digital, acompanhe o Jornal do Marketing.