O Futuro do E-commerce: Tendências e Previsões

Sumário

Posts relacionados

O Futuro do E-commerce Tendências e Previsões

O Futuro do E-commerce: Tendências e Previsões

Conheça 7 tendências para o futuro do e-commerce em 2023 e próximos anos. Aprenda estratégias para vender online com o Jornal do Marketing!

Quando há algumas quedas no setor ou falta de estratégia, é normal nos questionarmos sobre o futuro do e-commerce. Pelo fato de hoje termos mais lojas virtuais abertas do que antes da pandemia, isso leva a uma sensação de que o mercado está saturado e não há empreendedorismo, e quem já está atuando ficar sem ideias para vencer a concorrência.

O e-commerce e os pequenos negócios estão só começando. E isso vem da vontade popular de se inserir no comércio eletrônico, abrir a própria loja e fazer a gestão dela por métodos online e menos custosos. Se você já possui a sua e procura novas estratégias ou quer se atualizar com o que veremos nesse setor, continue a leitura na companhia do Jornal do Marketing!

O que é e-commerce?

O e-commerce, ou comércio eletrônico, já é uma tendência de trabalho e investimento nos últimos anos, e se trata de um formato de negócio online onde você pode divulgar e vender uma série de produtos físicos e digitais, bem como a prestação de serviços exclusivos.

O que é e-commerce
Fonte/Reprodução: original

Geralmente, o e-commerce vem para trazer soluções ao consumidor que não se encontram no mercado tradicional. E há muitas vantagens ao comerciante que vende pela internet, como menos custo para manter e realizar todas as transações, inclusive atendimento ao cliente e recebimento de pagamentos via internet.

Mas algumas confusões podem ocorrer, pois existem pequenas diferenças entre e-commerce, marketplace e loja virtual. Sendo que o e-commerce é um processo complexo online, ao passo que marketplace é a plataforma para vender diversos produtos de várias empresas e a loja virtual é o próprio site de vendas.

Tipos de E-commerce

Um forte posicionamento das empresas para o futuro do e-commerce é o que lida conforme os seus produtos e tipo de trocas comerciais que realizam, seja de empresa para empresa ou para o próprio consumidor final. Vale conhecermos melhor o que é e-commerce pontuando outros tipos de negócios além do marketplace e a loja virtual que você pode escolher ao montar o seu ou se identificar com o que já administra. Os tipos de e-commerce são:

  • E-commerce B2B (business to business), para comércio entre 2 empresas ou mais;
  • E-commerce B2C (o business to consumer), usado quando a empresa vende diretamente ao consumidor final;
  • E-commerce Atacadista, voltado para vendas em muitas quantidades, sendo o serviço de entrega seu principal atrativo;
  • E-commerce varejista, que possui logística com base no seu estoque.

Apesar de ser uma categoria também, ainda temos o e-commerce de produtos digitais e de produtos físicos, pois podemos pensar em uma variedade de produtos com conteúdos poderosos, consumidos online. Quem vende via plataformas e sites, tem maiores chances de se destacar da concorrência pelo fato de ter a logística mais equilibrada.

Quais as vantagens de ter e-commerce?

Desde o controle de todo o processo, frete automatizado, e outras opções práticas, existem vantagens de ter e-commerce em relação a uma loja física. Mas se tornou uma tendência os brasileiros com estabelecimentos de rua criarem não somente perfis nas redes sociais como um espaço virtual para comercializarem seus produtos. Além de poder contribuir com conteúdos digitais que ajudam a vender de qualquer lugar e horário, conheça todas as vantagens do e-commerce atualmente:

  • Possibilidade de vender a qualquer hora em qualquer dia;
  • Mais opções para o consumidor comparar preços e achar os melhores num e-commerce;
  • Alto potencial de vendas;
  • Preços mais baratos;
  • Poder automatizar o frete;
  • Menos custos para manter;
  • Tipo de negócio mais prático, tanto para o empreendedor quanto para o consumidor.

As pesquisas apontam que a maior vantagem de ter um e-commerce, no caso para o comerciante, são os menores custos, enquanto para o consumidor é a questão da conveniência. As compras de hoje e no futuro do e-commerce, movimentam bilhões todos os anos, e mesmo que ainda tenham possíveis atrasos com entregas, é mais conveniente adquirir um produto sem sair de casa.

Qual o futuro do e-commerce?

As tendências para os próximos anos incluem mais uso de tecnologias, como a Inteligência Artificial (IA), já presentes em chatbots, mas veremos como a IA pode fazer um e-commerce operar online e offline. Bem como o avanço da indústria, entrega de mercadorias por drones, processos e vários canais de vendas e marketing. Curioso para o futuro do E-commerce? Logo abaixo, listamos 7 tendências do e-commerce e uma breve explicação para você se preparar:

1. Drones que entregam mercadorias

A primeira tendência, claramente, chama a nossa atenção, visto que os drones entregadores já são realidade no varejo digital, marketplaces e empresas com aplicativos de delivery, como o iFood. Os drones entregadores são também parte do futuro do e-commerce, após até a Amazon, uma gigante nesse setor, ter projetado e lançado esse tipo de entrega.

Para o futuro do e-commerce, as melhores alternativas e ajustes para o serviço de entrega exclusivo e o frete incluso em muitos comércios se tornam completos e avançados diante da concorrência. Isso pode significar mais velocidade (menos tempo de espera), redução do custo de frete, menos ação humana nas operações e nas emissões de CO2 e muitas outras vantagens para o consumidor.

2. Bem-vindo ao omnichannel

Oferecer a melhor experiência de navegação omnichannel e mais opções de canais é uma tendência para o futuro do e-commerce, além de ser necessário integrar mais canais de venda e os dados do cliente. Ter uma estratégia de marketing com omnichannel significa colocar a sua empresa (física) e comércio eletrônico em todos os principais canais, facilitando o acesso e a jornada de compra. O omnichannel inclui os seguintes canais de venda:

  • E-commerce;
  • Loja virtual;
  • Marketplace;
  • Loja física;
  • Redes sociais;
  • Facebook;
  • Instagram;
  • WhatsApp;
  • Televisão;
  • Telemarketing.

A ideia central do omnichannel é levar sua marca para estes meios citados, especialmente nos canais e redes sociais que o seu público-alvo mais acessa. Porém, se atente, pois estar em todos os canais não significa ter mais clientes ou mais seguidores. É preciso incluir um sistema que opera com os dados e informações sobre o consumidor e o seu interesse na compra, algo como um “histórico do cliente” para ser usado no contato de qualquer canal.

3. Diversas opções de pagamento

Pense em como será mais ágil se você oferecer mais opções de pagamento – uma das tendências no futuro do e-commerce – onde o consumidor poderá escolher o que melhor lhe atende. Praticamente, o processo de checkout (processo final quando a compra é realizada em um site) precisa ser otimizado para a melhor experiência do cliente durante a compra. Garanta que a sua página de checkout tenha:

  • itens intuitivos;
  • Cliques simples;
  • Clareza do que o consumidor irá fazer;
  • Diversas opções de pagamento (carteiras digitais como PayPal, Google Pay, Samsung Pay e PIX);
  • Possibilidade de descontos no final.

Você terá menos cancelamentos, desistências e abandono do carrinho se apostar na otimização da página de pagamento com diversas opções para pagar via online. Agora, com a chegada e supremacia do PIX, já temos sites de venda que oferecem opção de pagar com criptomoedas. Assim, para o futuro do e-commerce é imprescindível adicionar e manter diversas opções de pagamento.

4. Estímulos visuais na decisão de compra

O Jornal do Marketing já falou sobre estratégias dos vídeos para um e-commerce e hoje os consumidores são mais atraídos pelo visual de um comércio. Saiba que uma tendência para o futuro do e-commerce é usar estímulos visuais para vender mais, tal como imagens e vídeos na página do produto ou serviço para descrevê-los, indicar como usar, onde usar e dicas, e nos anúncios também.

Mas estamos num ritmo em que a realidade virtual está sendo usada para que o usuário conheça a fundo o produto que deseja ter antes de comprá-lo. Trata-se de dispositivos de realidade virtual que permitem ao consumidor olhar um produto por meio de ângulos diferentes, com o uso de um headset de Realidade Virtual (RV) em casa, no trabalho, na rua.

5. Voice commerce: busca por voz

O algoritmo do Google lançou uma ferramenta que ajuda as empresas a otimizarem seus portais de e-commerce, para quando um cliente desejar fazer a busca de determinado produto gravando sua própria voz na plataforma. Esse tipo de comando faz muito sucesso entre os consumidores, aliás, toda ação necessária na internet que leva poucos segundos é favorável.

Algumas empresas já começaram a usar o mecanismo do voice commerce como buscador de voz, como a Natura e a pizzaria Domino’s. Mas você já pode entrar no processo dando o primeiro passo, como a otimização do seu site e as boas práticas do SEO para e-commerce. Exemplo disso é melhorar os títulos e as descrições do seu negócio, e mais importante, do seu produto. Colocar palavras-chave com expressões que uma pessoa geralmente usaria na pesquisa.

6. Sustentabilidade

Outro termo já presente na rotina das empresas que promete avançar no futuro do e-commerce é o conceito de sustentabilidade, tanto no consumo sustentável por parte dos clientes como medidas internas de uma organização para contribuir com o ambiente. Sabemos como as pessoas estão ligadas no assunto e exigem posicionamento das marcas, sendo que preferem comprar de empresas com e-commerce sustentável.

É possível mudar a estrutura empresarial com novos hábitos e gastos, fazer parcerias com outras empresas sustentáveis, realizar campanhas que geram impacto positivo e mostram que o seu negócio tem responsabilidade social. Existe o marketing de causas, uma tendência que permite ao comprador destinar parte de seu pagamento a uma boa ação, ONGs, etc.

7. Aumento do uso de IA

O uso da Inteligência Artificial (IA) ajuda na personalização da jornada de compra, os resultados de busca, o atendimento ao cliente com chatbots na página inicial, e outros recursos. Mas uma das tendências do e-commerce é poder contar mais dados e informações dos clientes, saber seus comportamentos de compra mais a fundo e passá-los para um atendimento personalizado.

Desse modo, os e-commerces serão mais fáceis de usar, com otimização de SEO, durante uma conversa no chat com auxiliar eletrônico da empresa que conhece o perfil de quem está do outro lado. O Google já anunciou que está trabalhando nos resultados de pesquisa mais personalizados, conforme as preferências do usuário.

Quais as previsões do e-commerce?

As previsões e o futuro do e-commerce já somam mais de R$ 3,4 trilhões, sendo que esperamos um crescimento de 42% do e-commerce no Brasil. Falamos de algo que aconteça até 2025, um período próximo para você, empresário, empreendedor e gestor de um e-commerce estar mais atento, uma vez que há mais chances desse número aumentar, pois muitas empresas estão conhecendo o formato digital de vender produtos e serviços só agora.

Quais as previsões do e-commerce
Fonte/Reprodução: original

Vimos que a crise e o momento turbulento da pandemia ajudaram nessas previsões para o futuro do e-commerce. Talvez dois motivos explicam esse boom: agora, quem se beneficiou das vendas online durante a quarentena pode aprimorar seus serviços, e os comerciantes tradicionais podem investir nas suas lojas físicas por meio de um e-commerce e canais de divulgação.

Em resumo, as tendências, as previsões e o futuro do e-commerce tem tudo para melhorar a experiência do cliente ao comprar um produto ou serviço online, ou offline. Com essas informações e novidades, nos diga quais são suas expectativas de vender mais com e-commerce? Você pode se inteirar de qualquer assunto sobre marketing e vendas, e dicas para melhorar seu negócio, ao acompanhar o site Jornal do Marketing lendo mais conteúdos como este!